Pré-eclâmpsia na gravidez

Praticamente todas as gestantes conhecem e temem a pré-eclâmpsia durante a gravidez. Esse é um problema que tendem a aparecer após a 20ª semana de gestação, ou seja, bem no final do 2° ou 3° trimestre, nesse momento a gestante passa a desenvolver a hipertensão, ou seja, pressão alta.

Hipertensão nas gestantes

gravida pressao

O corpo da mulher não tende a rejeitar o feto que se desenvolve em seu útero, no entanto, existem casos em que o bebê libera determinadas proteínas na circulação da mãe provocando uma resposta imediata do sistema imunológico que agride as paredes dos vasos sanguíneos causando o aumento da pressão arterial, assimilando a hipertensão com a gravidez damos o nome de pré-eclâmpsia.

Evolução da pré-eclâmpsia na gravidez

Se a doença evoluir ela pode levar ao risco de vida, tanto da mãe quanto do bebê. As causas da pré-eclâmpsia durante a gestação ainda são desconhecidas, mas podemos incluir os fatores de risco como: Doenças autoimunes, problemas na circulação sanguínea, dieta desregulada e genes.

Essa problema durante a gravidez não é tão frequente quanto se imagina, ainda assim existem alguns fatores que contribuem para o seu aparecimento, como, primeira gestação, gestação múltipla, obesidade, idade superior aos 35 anos e histórico anterior de hipertensão.

Pré-eclâmpsia na gestação

Principais sintomas da pré-eclâmpsia na gravidez

Inchaço nas mãos e rosto/olhos (edema).
Ganho de peso súbito em um ou dois dias.
Hipertensão arterial.
Perda de proteína pela urina.
Convulsão (em casos mais graves).

Tratamento da pré-eclâmpsia

A pré-eclâmpsia na gravidez é um problema considerado grave, por isso é preciso de tratamento imediato e a única forma de realiza-lo é por fazer o parto, se o bebê já estiver completamente formado a gestante pode optar pela cesariana e depois receber diferentes tratamentos para controlar a hipertensão.

pré aclampsia na gestação

Caso o bebê ainda não esteja pronto para nascer e seja necessário aguardar existem recomendações feitas a mãe para que a situação permaneça estável. Confira a lista de cuidados que a gestante deve manter.

  • Fazer repouso absoluto, deitada sobre o lado esquerdo o tempo todo.
  • Beber bastante água diariamente e reduzir o consumo de sal.
  • Realizar consultas mais frequentes com o médico para garantir que você e o bebê estão bem.
  • Tomar medicamentos para diminuir a pressão arterial (em alguns casos).

Existem casos em que o médico pede a internação da gestante para evitar o agravamento da situação, isso não indica que o caso seja mais grave, mas sim que o tratamento e os cuidados estão sendo mais precisos.

A pré-eclâmpsia após o parto

A expectativa é extraordinária! Geralmente o problema desaparece por completo em até seis semanas após o parto, mas em alguns casos a hipertensão tende a piorar, por isso é essencial continuar mantendo contato com o médico realizando todos os exames necessários para o tratamento mais apropriado.

Mulheres que sofreram com a pré-eclâmpsia tem alto risco de desenvolver a hipertensão com o passar dos anos, sendo assim, é essencial estar sempre atento aos sinais da doença, pois ela é grave e precisa de tratamento monitorado por um especialista na área da saúde.